Logo Enforce
 
   
 
   
 
   
   
   
   
   
   
   
   
   
 
Eco-curiosidades

Sabia que... 

> É necessário o Certificado Energético para vender ou arrendar um imóvel?
> O Certificado Energético de uma habitação ou pequeno serviço é válido por 10 anos?
> E “pertence” ao imóvel e não ao proprietário?
> Para construções novas, os imóveis têm que ter no mínimo classe energética B-?
> Um imóvel com Classe Energética A ou A+ pode ter benefícios fiscais?
 

 


 Dicas... 

Aproveite a exposição solar:
   - Ao escolher uma casa: os envidraçados a Sul são os que melhor aproveitam o Sol,
durante todo o ano.
   - Ao escolher um escritório: os envidraçados a Norte têm mais perdas térmicas,
mas melhor iluminação natural.

 

> Proteja-se do calor:
   - As proteções solares exteriores (palas, persianas ou outras) são muito mais eficazes
a proteger a sua casa do calor,

     no Verão, do que as interiores.


> Proteja-se do frio: 
   - A substituição das janelas antigas por caixilharias eficientes, de vidros duplos e baixa
emissividade, é uma 

     intervenção que tem um grande impacto no conforto.


> Proteja-se dos extremos:
   - Num último andar, a cobertura é um ponto crítico, tanto de Inverno como de Verão.

     Confirme com um profissional, mas se isolar todo o imóvel não for viável, comece pela cobertura.


> Proteja-se das humidades:
   - A falta de isolamento térmico pode fazer com que a humidade natural do ar condense
 nas superfícies mais frias;

     nestes casos, a solução passa pelo isolamento térmico dos pontos críticos.


> Proteja-se dos custos:
   - Os aquecedores elétricos são das soluções menos eficientes e mais caras para 
aquecer a sua casa. Considere a

     possibilidade de utilizar ar condicionado ou caldeira.


> Utilize bem a água:
   - A produção de água quente sanitária (AQS) é um dos principais consumos energéticos 
de uma casa, mas não é 

     inevitável. Os sistemas solares térmicos também podem ser instalados em edifícios.     

Informe-se.

 


   
Loja Online Yes, Low Cost Energy!
 
   
 

Em caso de litígio, o consumidor pode recorrer a uma Entidade de Resolução Alternativa de Litígios de Consumo: CNIACC – Centro Nacional de Informação e Arbitragem de Conflitos de Consumo (www.arbitragemdeconsumo.org); CACCL – Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa (www.centroarbitragemlisboa.pt); CICAP – Centro de Informação, de Consumo e Arbitragem do Porto (www.cicap.pt); CACCDC – Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Distrito de Coimbra (www.centrodearbitragemdecoimbra.com); CIMAAL – Centro de Informação, Mediação e Arbitragem de Consumo do Algarve (www.consumoalgarve.pt); CACCVA – Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Vale do Ave/Tribunal Arbitral (www.triave.pt); CIAB – Centro de Informação, Mediação e Arbitragem de Consumo/Tribunal Arbitral de Consumo – Braga e Viana do Castelo (www.ciab.pt); CACCRAM – Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo da Região Autónoma da Madeira (www.srrh.gov-madeira.pt ). Mais informações em Portal do Consumidor (www.consumidor.pt ).